Saúde amplia oferta de consultas e exames de ginecologia durante o mês de março

Secretaria de Saúde

12 de março de 2018
Acessibilidade

Para comemorar o Mês da Mulher, a Secretaria Municipal de Saúde está ampliando a oferta de consultas, exames e cirurgias ginecológicas. No total, serão disponibilizados 1.133 procedimentos a mais durante o mês de março, reduzindo o tempo de espera e facilitando o acesso das pacientes aos serviços.

Deste total, serão 800 consultas de ginecologia (500 no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes e 300 na Rede Básica de Saúde), 300 exames de mamografias e 33 cirurgias ginecológicas. “Estamos promovendo uma série de eventos educativos, como palestras e rodas de conversa sobre temas importantes para a saúde da mulher, mas ampliar a oferta de consultas, exames e cirurgias ginecológicas atende efetivamente quem está esperando pelo diagnóstico ou tratamento”, explica o secretário municipal de Saúde, Téo Cusatis.

Mensalmente, são realizadas uma média de 900 mamografias, número que subirá para 12,2 mil procedimentos somente no mês de março. Já o número de cirurgias ginecológicas passará de 120 para 150, em média. Alguns procedimentos cirúrgicos programados são Histerectomia (cirurgias total ou parcial do útero), Histeroscopia (inspeção endoscópica do interior do útero; uteroscopia), Ooforectomia (remoção de ovário ou cisto) e Sling (técnica para incontinência urinária), entre outros.

Osteoporose

Durante todo o mês de março, a Secretaria Municipal de Saúde promove palestras e rodas de conversa sobre Osteoporose, com a entrega de material educativo e encaminhamento de novos casos conforme a necessidade. A ação faz parte da programação em comemoração pelo Mês da Mulher e da Campanha de Prevenção à Osteoporose, resultado da lei municipal 5.280/2001.

A Osteoporose atinge 10 milhões de pessoas no Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, e impacta diretamente na qualidade de vida do paciente, já que existe a tendência de fraturas devido à perda da resistência óssea. No caso da população feminina, uma em cada quatro mulheres com osteoporose apresenta fratura vertebral na pós-menopausa. 

Os principais riscos para Osteoporose são: mulheres; pessoas de pele branca, baixa e magra; maior de 65 anos (ambos os sexos); história materna de fratura ou Osteoporose; menopausa precoce (antes dos 40 anos); tratamento crônico com corticoides; doença reumática, especialmente artrite reumatoide; climatério, menopausa; hipertireoidismo ou hormônio tireoidiano em excesso; tabagismo; alcoolismo e sedentarismo.