Semae apresenta Plano de Água e Esgoto em audiência pública nesta quinta-feira (21/09)

Serviço Municipal de Águas e Esgotos

20 de setembro de 2017
Acessibilidade

O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) de Mogi das Cruzes realiza, nesta quinta-feira (21/09), a partir das 18h30, uma audiência pública para apresentação do Plano Municipal de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário (PMAE), que atualiza e unifica os planos diretores vigentes de Esgoto (2010) e de Água (2011) e prevê investimentos de R$ 1,49 bilhão, ao longo de 30 anos, para universalizar os serviços de água e esgoto na cidade. A audiência será no Auditório da Prefeitura (Avenida Vereador Narciso Yague Guimarães, 277, térreo – Centro Cívico).

A maior parte dos recursos previstos (R$ 855 milhões) é para investimentos considerados de curto prazo (em até dez anos).

“Somente com recursos próprios do Semae, os valores são inviáveis. E é isso o que passaremos a discutir a partir de agora com a Câmara e a sociedade. O prefeito Marcus Melo determinou que fizéssemos um estudo de viabilidade econômica e financeira e, a partir dela, a decisão será tomada em conjunto, o que inclui a busca por recursos externos, como financiamentos e repasses de outras esferas de governo”, afirma o diretor-geral do Semae, Paulo Beono Jr.

A previsão de investimentos necessários apontada no plano se divide em R$ 654,26 milhões para Sistemas de Abastecimento de Água e R$ 837,49 milhões para Esgotamento Sanitário.

A versão preliminar do plano ficou disponível por 30 dias no site da Prefeitura (de 7 de agosto a 6 de setembro) para análise e apresentação de sugestões.

O PMAE é um levantamento minucioso realizado pelo Semae, por meio de uma empresa especializada, e que prevê um cronograma de obras e investimentos, em função da projeção de crescimento populacional e da própria malha urbana da cidade.

Entre as metas estão a melhoria do controle operacional do sistema de água, redução do índice de perdas, garantia do abastecimento de água para a população com o mínimo de interrupção, aumento do volume de esgoto tratado e implantação de sistemas de saneamento para os núcleos urbanos isolados.

Dúvidas ou sugestões poderão ser apresentadas pela população durante a audiência, e serão compiladas pela equipe da autarquia, antes de o projeto ser encaminhado à Câmara Municipal para apreciação e votação.

Atualmente, em Mogi das Cruzes, 98% da área urbana são atendidos por abastecimento de água. Quanto ao esgoto, os índices avançaram, nos últimos anos, de 78% de coleta e apenas 5% de tratamento para os 95% de coleta e 61% de tratamento. (Julio Nogueira)