Amdem recebe trabalho de mais de 70 grafiteiros do Brasil e América Latina

Fundo Social de Solidariedade

14 de janeiro de 2019
Acessibilidade

O prefeito Marcus Melo e a presidente do Fundo Social de Solidariedade de Mogi das Cruzes, Karin Melo, prestigiaram, no último final de semana, o 3º Mogi Art Fest, um encontro internacional de grafite, realizado na Amdem – Associação Mogicruzense para Defesa da Criança e do Adolescente, no bairro do São João. Com o tema “Africanidades”, 75 artistas do Brasil e da América Latina grafitaram mais de mil metros quadrados de muros da instituição.

A Amdem atua há mais de trinta anos em Mogi das Cruzes e realiza um trabalho com crianças e adolescentes em vulnerabilidade social. Atualmente, a sede está passando manutenção, o que inclui a pintura nos muros externos, entre outros serviços. Para tornar a pintura participativa, a Amdem resolveu fazer um evento cultural, reunindo artistas do grafite, música e dança. “Foi uma excelente iniciativa, um evento organizado para o público jovem, com muita música, dança, arte e alegria. O resultado foi um ambiente ainda mais acolhedor e alegre para nossos jovens e crianças”, elogiou Karin Melo.

O evento contou com apoio do Fundo Social, por meio do Programa Família Solidária, que cuidou da recepção e alimentação servida aos artistas, atuando com 32 voluntários que doaram 148,30 horas de trabalho. Outros setores da Administração Municipal, como as Secretarias Municipais de Assistência Social, Serviços Urbanos e o Semae, também colaboraram para a realização do evento no sábado (12/01) e domingo (13/01), que teve participação gratuita e foi aberto ao público em geral.

“Foi uma honra receber a primeira dama em nossa instituição. Esse evento é uma benção que começou com uma brincadeira para as crianças e hoje é um sonho se realizando: trazer todos esses grafiteiros para Mogi das Cruzes para a revitalização da sede da Amdem. Uma realização que não tem preço e mais uma grande conquista para a Associação”, afirmou Everaldo Carlos de Melo, presidente da Amdem.

“Para mim, que trabalho dia sim, dia não, a Família Solidária é uma ótima atividade. Me inscrevi no programa e participo sempre que posso. Para ajudar em tudo, em eventos e outras atuações, como buscar um material ou fazer alguma digitação. Podem contar sempre comigo”, afirma Moacir Souza Júnior, voluntário do Programa Solidária.

A Amdem é uma das instituições pioneiras no atendimento a crianças e adolescentes em situação de risco social da cidade, fundada em 1983, que neste ano completará 36 anos de atividades. A Associação promove aulas de dança, judô, música, teatro e outras atividades no horário inverso ao período escolar. Seu lema é a palavra africana Ubuntu, que significa “Eu sou porque nós somos”.