Semae intensifica limpeza de rede de esgoto em Jundiapeba

Serviço Municipal de Águas e Esgotos

20 de novembro de 2018
Acessibilidade

O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) intensificou o trabalho de desobstrução da rede esgoto em Jundiapeba, com três equipes que atuam com caminhão hidrojato – equipamento que faz o jateamento de água sob pressão para limpeza. O distrito concentra metade de todas as ordens de serviço da cidade para limpeza da rede de esgoto.

O principal motivo de entupimentos são os materiais lançados de forma irregular no sistema de esgoto: gordura (que se solidifica), pedra, plásticos pedaços de madeira e de colchão, por exemplo. São materiais que jamais poderiam estar na tubulação de esgoto.

O Semae pede a colaboração de moradores para que evitem lançar esse objetos para impedir problemas de obstruções e vazamentos que geram transtornos como retorno de esgoto para dentro dos imóveis, mau cheiro nas ruas e bloqueios no trânsito para os serviços de reparo, além de despesas para a autarquia devido ao deslocamento de funcionários e equipamentos.

Os problemas no sistema aumentam nesta época do ano devido a muitas ligações irregulares de água de chuva (pela tubulação de drenagem das casas) na rede de esgotamento.

O sistema de escoamento de águas pluviais é projetado para encaminhar a água da chuva para as galerias, de onde seguem o caminho natural até os córregos e rios da cidade. Já o sistema de esgoto conduz o material das casas para as estações de tratamento.

Misturar as redes pode ocasionar vazamentos em tampões de rede de esgoto – visíveis nas ruas e avenidas após dias chuvosos – além dos entupimentos de tubulação, devido a terra, areia e pedras.

Outro tipo de ocorrência comum, nesses casos, é o retorno de esgoto para dentro das casas: isso acontece porque o volume de líquido que chega às tubulações é muito grande, voltando para dentro das residências e causando transtornos aos moradores.

O resultado deste processo também é visto na Estação de Tratamento de Esgoto do Semae, em Cezar de Souza, onde é possível notar o aumento significativo do volume de líquido – no caso esgoto misturado com a água da chuva

A recomendação do Semae é para que os cidadãos verifiquem a existência de ligações que despejam a água da chuva no sistema de esgoto. Muitas vezes as pessoas não percebem que estas ligações existem. As calhas da casa ou edifício devem conduzir a água para as sarjetas, nas ruas, e não para tubulações internas. O trabalho de orientação das equipes da autarquia é constante. (Julio Nogueira)