Inscrições para o 6º Salão de Artes estarão abertas a partir desta sexta-feira

Secretaria de Cultura

11 de julho de 2019
Acessibilidade

A partir desta sexta-feira (12/07), estarão abertas as inscrições para o 6º Salão de Artes de Mogi das Cruzes. A mostra acontecerá entre os dias 30 de novembro de 2019 e 7 de janeiro de 2020, no Centro Cultural de Mogi das Cruzes. Dela podem participar artistas e coletivos de artistas, brasileiros ou estrangeiros, maiores de 18 anos, residentes no país há mais de três anos, incluindo quem nunca tenha realizado exposição individual.

Leia o edital

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas presencialmente, na sede da Secretaria de Cultura e Turismo, ou então por correio. As inscrições presenciais devem ser feitas até o dia 30 de agosto, dentro do horário comercial (entre 8h30 e 16h30), na rua Coronel Souza Franco, 791/795. Já as inscrições por correio devem conter aviso de recebimento (AR) e respeitar a mesma data-limite. 

Serão aceitos trabalhos bi e tridimensionais. Isto é, pinturas, desenhos e gravuras, bem como esculturas, cerâmica, porcelana e entalhe. Como em anos anteriores, o Salão abrange as categorias acadêmica e contemporânea e os participantes só podem se inscrever em uma delas. Cada inscrito poderá enviar no máximo três trabalhos, porém só poderá ter uma obra selecionada para exposição. É preciso respeitar os modelos e medidas especificadas o edital de seleção.

Poderão ser inscritos trabalhos produzidos a partir de 2016, datados, não premiados e inéditos. Não serão admitidas cópias ou reproduções de outros artistas. Também naõ serão aceitos trabalhos fotográficos ou que sejam compostos de materiais frágeis, que comprometam a apresentação das obras e a integridade física do local e do público.

Os trabalhos inscritos serão inicialmente avaliados por uma equipe técnica da Secretaria de Cultura, que vai verificar ficha técnica e documentação, para divulgar a lista dos habilitados. Depois seguirão para as etapas de pré-seleção e classificação, que ficarão a cargo de renomados profissionais das artes plásticas e outros segmentos culturais.

A previsão é que a lista dos habilitados seja divulgada no dia 16 de setembro. Já os pré-selecionados serão revelados no dia 30 de setembro. Quem passar pela pré-seleção já terá que enviar a obra ou obras inscritas ao Centro Cultural, devidamente emolduradas e acompanhadas de suportes. O resultado da classificação deve sair no dia 17 de novembro. Serão escolhidas, no máximo, 10 obras por categoria.

Os três primeiros colocados receberão premiação em dinheiro, nos valores de R$ 2 mil, R$ 1,2 mil e R$ 800,00, respectivamente. Haverá também obras contempladas com menção honrosa, que receberão diplomas e medalhas. Todos os participantes receberão certificados.

O Salão de Artes de Mogi das Cruzes é um evento que busca fomentar, promover e difundir a produção artística, além de estimular a reflexão e o intercâmbio de ideias no campo das artes visuais, contribuindo para a formação de público e para a construção da história da arte mais recente no país.

Patronesse

A patronesse do Salão de Artes de 2019 é a artista plástica Wilma Ramos, que faleceu há pouco mais de dez anos, em abril de 2009, quando tinha 68 anos. Nome forte do naïf brasileiro, Wilma Ramos ficou conhecida internacionalmente por seus quadros que retratam o folclore brasileiro e as festividades regionais. A primeira exposição aconteceu em 1967, no Salão de Arte Contemporânea de Campinas.

A partir dos anos 70, expôs em Madri, Palma de Mallorca e Puerto de Pollensa, na Espanha. Entre 1968 e 1984, foi premiada em diversos salões de arte realizados no Estado de São Paulo, além de participar de mostras coletivas em vários países.

Apesar do prestígio internacional, a artista permanecia morando em Mogi, com a mãe e dois irmãos, onde ficou conhecida por integrar o Grupo Feminino de Artes Plásticas de Mogi das Cruzes. Formado por Ilda Veri Lopes, Ana MarB, Olga Nóbrega, Wanda Barbieri e Wilma, o coletivo era conhecido pela união e amizade das cinco artistas.

Durante toda sua carreira, Wilma mostrou por meio de telas sua devoção ao Divino Espírito Santo. Ficou também conhecida como a Senhora dos Verdes, devido a elementos muito presentes em suas obras, como colheitas agrícolas, aves tropicais, pescadores, congadas e imagens do Vale do Paraíba.