Lançamento da pedra fundamental da Maternidade Municipal é adiado

Secretaria de Saúde

18 de outubro de 2019
Acessibilidade

Em face da denúncia apresentada pelo prefeito Marcus Melo sobre o desvio de recursos por um funcionário público, que levou à formação de um processo administrativo interno e de uma investigação criminal por parte da Justiça - que já resultou na prisão preventiva do servidor - a Prefeitura de Mogi Cruzes informa que o lançamento das obras da Maternidade Municipal será reagendado para outra data próxima. A alteração desta data não trará prejuízo ao início ou ao andamento dos trabalhos.

A futura unidade irá dobrar a capacidade de atendimento do município para a realização de partos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e garantirá mais segurança, conforto e qualidade às gestantes e bebês. O projeto foi elaborado pela Secretaria de Planejamento e Urbanismo em parceria com a Secretaria de Saúde e entre os espaços previstos estão a segunda unidade do Programa Mãe Mogiana, Pronto Atendimento de Obstetrícia, Berçário com Cuidados Intermediários e Intensivos (UTI) e Banco de Leite.

No total, a Maternidade Municipal terá cerca de 8 mil m² distribuídos em sete pavimentos e contará com 51 leitos, dos quais 10 leitos de UTI Neonatal e 10 leitos de cuidados intermediários. A unidade contará, ainda, com leitos para gestantes, puérperas, leitos especializados no sistema canguru, leitos para gestantes de alto risco, além de quartos para atendimento antes e depois do parto.

O processo de licitação teve como vencedor o Consórcio CDG/Sahliah, que executará a obra no prazo de 30 meses com orçamento de R$ 35,1 milhões. A concorrência entre as empresas fez o custo da obra baixar em quase R$ 15 milhões diante do valor inicialmente estimado de R$ 50 milhões.

Mogi das Cruzes conta atualmente apenas com a Santa Casa para a realização de partos pelo sistema público e a unidade enfrenta constantes problemas de superlotação. Os problemas levaram à mobilização da Prefeitura que, em julho/2018, conseguiu a doação da área de 3 mil m2 na rua Francisco Affonso de Melo, onde funcionou o antigo Fórum Distrital de Braz Cubas.