Banco de perucas do projeto Cabelegria é inaugurado na sede do Pró-Mulher

Fundo Social de Solidariedade

14 de maio de 2018
Acessibilidade

A presidente do Fundo Social de Solidariedade de Mogi das Cruzes, Karin Melo, comandou, no início da tarde desta segunda-feira (14/05), a inauguração do banco de perucas do projeto Cabelegria em Mogi das Cruzes. A princípio, a sala funcionará às segundas e quintas-feiras na sede do Pró-Mulher, sempre das 13h às 17h, porém o objetivo é, em cerca de duas semanas, ampliar o funcionamento para todos os dias no período da tarde.

O espaço faz a entrega de perucas a pacientes em tratamento oncológico e outras patologias que desencadeam a perda de cabelos e também recebe doações de cabelo natural, que são a base para a confecção das perucas.

“Inaugurar esse espaço é como um sonho para a gente. Começamos a parceria com o Cabelegria há pouco tempo e, graças a Deus, tudo evoluiu muito rápido. Só quem perde o cabelo sabe da importância desse banco e hoje já tivemos a oportunidade de receber nossa primeira paciente, que ficou sabendo do projeto, veio até aqui espontaneamente e já saiu com a sua peruca e um sorriso no rosto. Só isso já faz tudo valer a pena”, destacou Karin Melo.

A paciente a quem Karin se referiu é Patrícia Marques de Matos, que é de Arujá e vem à Mogi de 20 em 20 dias para fazer tratamento contra o câncer no Hospital das Clínicas Luzia de Pinho de Melo. A localização da sala, aliás, foi pensada estrategicamente, dada a proximidade com a unidade de sáude, que é referência no tratamento oncológico. 

A fundadora da ONG Cabelegria, Mariana Robrahn, também participou da abertura do espaço e falou sobre a importância da iniciativa. “Já tivemos casos de pessoas que haviam desistido do tratamento e depois de conhecer a ONG e receber uma peruca se sentiram estimuladas a seguir em frente com o tratamento, então sabemos que realmente podemos mudar vidas com o Cabelegria”, pontuou.

O banco de perucas do Cabelegria em Mogi das Cruzes começa a funcionar com um estoque de 80 perucas e a expectativa é receber cerca de 50 pacientes/mês. Quem vai atuar lá são voluntários do programa Família Solidária, do Fundo Social de Solidariedade, que passaram por uma capacitação. A partir de agora, outros voluntários serão capitados, para possibilitar o funcionamento do banco em todos os dias da semana.

Os pacientes que quiserem uma peruca devem ir até o local e apresentar um documento pessoal (RG), laudo médico e comprovante de quimioterapia, em caso de tratamento oncológico. Não sendo câncer, basta apresentar o laudo médico. Uma vez com uma peruca, é possível solicitar a troca por outra, conforme a paciente preferir.

O espaço também recebe doações de cabelo natural, porém não fará cortes. Logo, as pessoas devem chegar ao local já com mechas, que devem ter pelo menos 20 centímetros e precisam ser entregues secas, dentro de um saco plástico. Os cabelos doados podem ter química, como tintura e alisamentos. Todos que doarem receberão um certificado do projeto.

Os primeiros doadores também já apareceram hoje, como as voluntárias da Rede Feminina de Combate ao Câncer, que levaram 30 mechas e cidadãos que ficaram sabendo da iniciativa, como Elide Marcatto Ottoni Martins, Natasha e Cristiane Ito e Júlia Hein Fragoso de Mello.

O banco de perucas do Cabelegria em Mogi das Cruzes fica à disposição de pacientes não só da cidade, como de toda a região. A iniciativa de trazer o projeto à cidade partiu do vice-prefeito, Juliano Abe, que também compareceu à solenidade, ao lado de diversos secretários municipais. 

Sobre o projeto

O projeto Cabelegria teve início em outubro de 2013, por iniciativa das amigas Mariana Robrahn e Mylene Duarte, que queriam ajudar crianças com câncer. Em menos de seis meses, o projeto se transformou em uma ONG.

Atualmente, são confeccionadas cerca de 300 perucas por mês. Para confeccionar uma peruca, são necessárias 300 gramas de cabelo, o que corresponde a mechas de cinco pessoas diferentes. Por isso, o Cabelegria precisa de muitas doações.

Com menos de cinco anos, o Cabelegria entregou mais de 3.200 perucas e faz sucesso nas redes socias.

Até hoje, o projeto possuía possuía três bancos fixos de perucas no Estado de São Paulo. As unidades físicas funcionam em Itaquera, em São Paulo e em Poá. O de Mogi, portanto, é o quarto banco fixo do projeto. O projeto também trabalho com um banco móvel, que circula por diversas cidades e unidades de saúde. 

A parceria entre o Fundo Social e o Cabelegria foi lançada no dia 28 de abril, em um evento emocionante no Theatro Vasques, que reuniu mentores do projeto, cabeleireiros da cidade, uma costureira e pacientes que lutam ou já lutaram contra o câncer.

O Pró-Mulher fica na rua Manuel de Oliveira, 30, no Mogilar. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone do Fundo Social de Solidariedade, que é o 4798-5143. (Lívia de Sá)