Entrega das obras de reforma e conservação do Casarão do Carmo acontecerá em nova data

Secretaria de Cultura

17 de julho de 2017
Acessibilidade

As Secretarias Municipais de Cultura e Obras informam que as obras de reforma e conservação do Casarão do Carmo estão praticamente concluídas. É importante lembrar que, desde o início dos trabalhos, vem sido mantido um rigoroso acompanhamento técnico do serviço, tendo como base a importância histórica do prédio. Cada detalhe da reforma foi observado criteriosamente, para que o tradicional casarão mantenha suas características arquitetônicas e tenha toda a sua riqueza construtiva recuperada e mantida.

A entrega do trabalho, que estava marcada para esta quarta-feira, dia 19 de julho, foi adiada justamente por causa deste rigor. O trabalho de recuperação do piso de madeira ainda necessita de complemento, para que seja finalizado da maneira adequada, também seguindo as características da reforma. Quando esta última etapa da reforma estiver concluída, será marcada uma nova data para a reabertura do espaço.

Os trabalhos compreenderam revisão e manutenção geral do prédio, mais restauro de algumas estruturas, em respeito às suas características originais, com investimento total de R$ 115.703,80.

O edifício do Casarão do Carmo é uma obra do século XIX, em estilo colonial, feito em taipa de mão e taipa de pilão. O prédio é tombado pelo Comphap (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Artístico, Cultural e Paisagístico) desde 2012. Foi erguido originalmente para servir de residência à importante família Bourroul.

A partir dos anos 30, passou a abrigar diversas atividades culturais e comerciais, até que, na década de 80 foi desapropriado pela Prefeitura de Mogi da Cruzes. Desde então, passou a abrigar atividades culturais de diversos segmentos. O prédio possui área construída (e tombada) de 381,18 m². Os anexos somam 192,72 m². Já o terreno tem área total de 798,20 m². A última grande reforma feita no prédio ocorreu entre 1987 e 1988. Nos anos de 2007 e depois em 2013, o casarão recebeu pequenas obras de conservação.

Além de sediar diversas apresentações culturais, reuniões, fóruns e palestras, o Casarão do Carmo também é palco para projetos permanentes da Secretaria Municipal de Cultura, como o Terças Literárias e a Roda de Choro do Seu Julinho. Abriga ainda o Museu Visconde de Mauá, antigo Museu Mogiano, que guarda em seu acervo parte significativa da história do município, com destaque para a bandeira deixada por D. Pedro I em sua passagem por Mogi das Cruzes, logo após a Proclamação da Independência do Brasil.